Municípios devem ficar atentos às responsabilidades do Plano Brasil Sem Miséria

As responsabilidades referentes ao Plano Brasil sem Miséria aumentaram.  O Plano que é direcionado às famílias com renda de até R$ 70 por pessoa busca integrar: garantia de renda, acesso a serviços públicos e inclusão produtiva urbana e rural.

Para efetivação do Plano, o Cadastro Único e a Busca Ativa são estratégias utilizadas para o reconhecimento da população alvo do programa.  O Cadastro serve para os governos federal, estadual, distrital ou municipal conheçam as famílias mais pobres e organizem a oferta de serviços públicos para essa população. Todos os Municípios brasileiros operam o Cadastro Único. A Busca Ativa é o deslocamento de equipe até as famílias extremamente pobres para inclusão no projeto.
Para atender essas exigências,  o Município precisa de uma estrutura de operacionalização que disponha entre outras coisas de equipamentos, de pessoal qualificado, de realização do translado da equipe e capacitação de pessoal. Todas essas responsabilidades precisam ser consideradas, pois a responsabilidade dos Municípios só aumenta em detrimento dos planos da União.

Mais gastos para o gestor
O Plano Brasil Sem Miséria implica em gastos para a Assistência Social e o recurso que a União tem informado para repasse é de pouco mais de três reais para cada família cadastrada. O apoio financeiro de gestão deve ser reavaliado diante das exigências estabelecidas aos Municípios, uma vez que cabe ao ente municipal o papel de execução da busca ativa, preenchimento e atualização periódica das informaççes.
Fonte: CNM

Data de Publicação: quinta-feira, 07 de fevereiro de 2013

Contatos:

Telefone: (27) 9 9842-8048
E-mail: amunes@amunes.org.br