Artigo: Inovação e municípios inteligentes

Iniciativas a partir de tecnologias e de soluções modernas e inteligentes têm sido apresentadas e utilizadas a fim de ajudar os gestores municipais no aprimoramento dos serviços públicos prestados à população. A gestão da inovação vai muito além da digitalização de processos e serviços, também contempla integração de políticas públicas alinhadas à tecnologia e o uso de dados qualificados para o aprimoramento das cidades inteligentes ou smart cities, agregando maiores possibilidades de interação entre as prefeituras e os cidadãos nos desafios do dia a dia.

É sempre bom relembrar o Ranking Connected Smart Cities 2021, elaborado pela consultoria Urban Systems, que colocou em destaque os seguintes municípios do Espírito Santo: Vitória (5°), Vila Velha (30°), Linhares (51°), Cachoeiro de Itapemirim (59°), Serra (69°) e Colatina (90°).

Os serviços oferecidos pelas prefeituras Brasil afora precisaram ser potencializados ainda mais com a chegada da pandemia do Coronavírus (Covid-19), momento em que a administração pública precisou adaptar e reformular para o formato digital a forma de atender a população a fim de evitar a disseminação do vírus. Em Cachoeiro de Itapemirim não foi diferente: diversas iniciativas que contribuem para a desburocratização estão sendo realizadas, como investimentos em digitalização de processos administrativos, com a redução do uso de papel e da facilidade em ter acesso aos serviços públicos oferecidos pela prefeitura de forma remota.

Em Cachoeiro, cidade que estou como prefeito desde 2017, já existe uma pasta que cuida especialmente da formulação e execução de políticas públicas voltadas à mobilidade, à ocupação e ao ordenamento do espaço territorial do município. Coloco em destaque projetos inovadores como o “Todos Juntos”, que é um canal online para receber sugestões e reclamações de serviços da Ouvidoria Municipal, o “Ponto Cachoeiro” aplicativo que disponibiliza em tempo real os horários dos transportes coletivos e o “Conecta Cachoeiro” que oferece de forma gratuita pontos de internet sem fio nas principais vias públicas.

O tema de Cidades Inteligentes é frequentemente debatido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) e pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), por meio de debates, palestras e workshops. A CNM tem o “InovaJuntos”, projeto de cooperação internacional que visa fortalecer espaços de inovação nos municípios brasileiros por meio da cooperação triangular com cidades portuguesas e latinoamericanas. O Espírito Santo também está presente nesta iniciativa. Em novembro, representantes de Viana vão trocar experiências e conhecer soluções de inovação e de boas práticas na gestão pública durante a Missão Técnica Internacional em Portugal.

O conceito de Cidade Inteligente está no radar da Associação dos Municípios do Espírito Santo (Amunes) e do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), por meio do programa ES Inteligente, para a estruturação de projetos robustos de infraestrutura de Parcerias Público-Privadas. Os municípios têm aderido ao programa para fornecer mais benefícios para os capixabas como melhorias na iluminação pública, implantação de usinas fotovoltaicas e infraestrutura de telecomunicações.

Sabe-se que os desafios para os municípios são inúmeros, a falta de recursos apropriados para contemplar as necessidades e as demandas da população tem preocupado prefeitos. Contudo, a Amunes segue sua diretriz em direcionar que os gestores locais olhem para a inovação e para a transformação digital com mais apreço, desenvolvendo assim cidades mais inteligentes e interligadas em um ambiente urbano para benefício dos capixabas.

Victor Coelho é presidente da Associação dos Municípios do Estado do Espírito Santo (Amunes) e prefeito de Cachoeiro de Itapemirim.

 

Data de Publicação: sexta-feira, 15 de julho de 2022

Contatos:

Telefone: (27) 3227-3077 | (27) 9 9842-8048
E-mail: amunes@amunes.org.br