Restos a Pagar da União crescem e totalizam R$ 218,4 bilhçes em 2014

Em 2013, esse montante foi de R$ 176,7 bilhçes. As informaççes são da Secretaria do Tesouro Nacional, divulgadas nesta quarta-feira, 8 de janeiro. Apesar de os Restos a Pagar superarem os R$ 200 bilhçes, o governo só tem à disposição R$ 33,6 bilhçes de anos anteriores para gastar imediatamente.
 
O valor refere-se aos RAP já processados, ou seja, verbas que passaram pela fase de liquidação e podem ser executadas a qualquer momento. O valor restante – que totaliza R$ 184,8 bilhçes – diz respeito aos não processados, despesas que só passaram pela etapa de empenho, autorização, e podem ser canceladas.
 
De acordo com o Tesouro Nacional, os Restos processados cresceram 27,8% e os não processados aumentaram 22,8% em relação a 2013. O crescimento dos processados foi maior do que em outros anos. A rubrica havia caído de 2011 para 2012 e subido 9,5% de 2012 para o ano passado. Apenas o crescimento dos não processados, que havia aumentado 28,6% de 2012 para 2013, caiu este ano.
 
Finanças municipais
A CNM elaborou um mapeamento sobre os RAP e os impactos à economia das prefeituras. O estudo – divulgado em agosto de 2013 e disponibilizado em um hotsite especial sobre o tema – apontou: “a dívida da União com as prefeituras chega a R$ 21.415.972.240, referente a obras e aquisiççes realizadas e não pagas”.
 
Veja aqui o hotsite.

Fonte: CNM

Data de Publicação: quinta-feira, 09 de janeiro de 2014

Contatos:

Telefone: (27) 9 9842-8048
E-mail: amunes@amunes.org.br